segunda-feira, 27 de julho de 2009

Um pouco sobre Paleontologia (oi?)


Sim meus caros leitores, também postarei informações de cunho científico e tecnológico :D


Sempre achei dinossauros um assunto interessante, e umas das questões que sempre me atraíram é sobre sua temperatura corporal (sendo reptéis, como poderiam ser criaturas de sangue quente???)
O iguana marinho Amblychynchus cristatus, da ilha Galápagos, precisa se expor ao Sol para se esquentar e enfim cumprir as “tarefas” diárias que, logicamente, precisam de energia armazenada.Quando se trata de temperatura corporal, os répteis são considerados pecilotermos (sangue frio), sabe-se que animais de sangue frio possuem a temperatura do corpo controlada pelo ambiente. Porém, muitas coisas não batem com seus antecedentes, os dinossauros, considerados por grande parte dos cientistas, animais grandes demais para serem pecilotermos e, portanto teriam que ficar sob o Sol um tempo “considerável” do dia impossibilitando o andamento natural de sua alimentação e comportamento. Portanto são considerados animais de sangue quente (homeotermos). Ah, isso é fascinante!
Em 1993, saiu o resultado de uma pesquisa, conduzida por especialistas, um coração de um hadrossaurídeo (fossilizado, é claro!). A semelhança é fatídica em relação a corações de mamíferos! A estrutura, a quantidade de átrios e os ventrículos são quase que idênticos! O que provam que eram animais de sangue quente.
No coração da maioria dos répteis atuais existem dois átrios e um ventrículo.
Assim como ocorre com a circulação dos anfíbios, na circulação dos répteis, o sangue venoso também se mistura com o sangue arterial dentro do único ventrículo. ENTRETANTO, o ventrículo do coração estudado apresenta um início de divisão que não permite a mistura do sangue em grande quantidade. Não havendo, portanto, a mistura necessária dos dois tipos de sangue, logo a oxigenação é mais rápida.
Pra mim eram reptéis de sangue quente sim...
E você?? O que acha??

1 comentários:

Douglas disse...

Considerações Importantes:

Pró-Endotermia:

• as aves evoluíram dos dinossauros, então, devem regular sua temperatura da mesma maneira;
• em relação a seus corpos, os dinossauros têm os membros na mesma disposição que os mamíferos, e os mamíferos têm sangue quente;
• os modelos de computador sugerem que os dinossauros podiam se mover rapidamente e, em geral, quanto mais rápido um animal se move, mais rápido tende a ser seu metabolismo;
• uma tomografia computadorizada feita em um tecido preservado do esqueleto de um dinossauro encontrado na Dakota do Sul aparentemente revelou que o coração do dinossauro tinha quatro câmaras, como o de uma ave ou de um mamífero, em vez de três câmaras, como o de um réptil.


Pró-Ectotermia:

• os dinossauros extremamente grandes podiam manter uma temperatura constante do corpo através da inércia, assim, não necessitariam de processos internos para regular sua temperatura;
• o clima durante a maior parte do tempo em que os dinossauros existiram era mais quente do que é hoje, tornando a habilidade endotérmica desnecessária;
• os dinossauros não parecem ter estruturas chamadas de conchas respiratórias, muito comuns nos mamíferos endotérmicos.

Postar um comentário