sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Marley e Eu



Nós éramos jovens. Estávamos apaixonados. Estávamos nos deleitando naqueles sublimes primeiros dias de casamento(...)



Trecho do livro Marley e Eu, onde o personagem-e-autor John Grogan descreve "a vida e o amor ao lado do pior cão do mundo". Marley é um gigantesco e atrapalhado labrador de 44 kg que foi adotado, ainda filhote, pelo casal John e Jenny quando ainda nem tinham filhos. A história do livro é real, Marley realmente existiu e apesar do adjetivo dado pelo próprio dono "pior cão do mundo", ele é responsável por um dos maiores sucessos editorias dos últimos anos e sua adaptação pras telas de cinema é considerada um marco quando se trata de filmes de cachorros.
O grande triunfo de Marley e Eu é mostrar o cachorro como ele é, ou seja, um cachorro, apenas um cão. Isso foi o suficiente pra agradar o público e chamar a atenção da crítica. Filmes com estes animais de estimação sempre apelavam pra cães que eram heróis, que falavam com seus donos ou participam de conspirações contra gatos  malignos. E o diretor David Frankel (o Diabo Veste Prada) mudou essa história de maneira gloriosa adaptando o best-seller de Grogan. Nele é interpretado pelo ator narigudo Owen Wilson e Marley por 22 cães adestrados que trabalharam melhor que muito ator global durante o filme. 
Marley é estabanado, impetuoso e desobediente, mas, quando seu companheirismo é exigido pela família Grogan, ele o demonstra com toda a fidelidade possível e testifica que, realmente o "cão é o melhor amigo do homem".
O filme é do final de 2008 e assim como o livro rende boas gargalhadas e momentos de bastante emoção. Crivelmente Recomendado!!!



Alugue ou compre, vale a pena assistir.









Sam Rockuel já acordou com pulgas ...

1 comentários:

Charlie B. disse...

Geralmente não gosto de filmes sobre cães, de fato porque a maioria apela para heroísmos e comportamentos humanos aos peludos caninos, contudo, Marley é diferente, é uma lição de vida, é a beleza por trás 'do focinho molhado'. Uma parte de mim, lembra de Marley de muitas formas, de muitos jeitos, jeitos mais que belos, perfeitos até.

Charlie B.

Postar um comentário